Érika Verçosa solicita reabertura do Centro de Referência da Mulher

Érika Verçosa solicita reabertura do Centro de Referência da Mulher

Foto: Rodrigo Palassi

A violência contra a mulher é um problema recorrente no Brasil e em Cubatão isso não é diferente. Preocupada com esse quadro, a vereadora Érika Verçosa (PSDB) apresentou na última sessão (24/10) um requerimento que pede ao Executivo Municipal que providencie a reabertura do Centro de Referência da Mulher (CRM), com profissionais capacitados e com toda a infra-estrutura necessária para prestar assistência e orientação às mulheres em situação de violência.

Érika explicou que a violência contra a mulher é sistêmica e se apresenta de diversas formas, desde a simbólica, através da desumanização e objetificação da população feminina, passando pela psicológica até o estupro e o feminicídio. A parlamentar disse que é inadmissível que ainda hoje homens apresentem esse comportamento machista e violento contra a mulher.

O feminicídio é a instância última de controle da mulher pelo homem, expressando-se como afirmação irrestrita de posse, igualando a mulher a um objeto, quando cometido por parceiro ou ex-parceiro; como subjugação da intimidade e da sexualidade da mulher, por meio da violência sexual associada ao assassinato; como destruição da identidade da mulher, pela mutilação ou desfiguração de seu corpo; como aviltamento da dignidade da mulher, submetendo-a a tortura ou a tratamento cruel ou degradante.

A vereadora disse que a mulher, apesar de ser maioria na sociedade brasileira, é tratada historicamente de maneira distinta do homem. Ela comentou sobre os números da violência contra a população feminina na cidade no ano passado. De acordo informações da Delegacia da Mulher de Cubatão, foram 129 casos de lesão corporal, 92 de ameaça, 4 tentativas de homicídio e 05 estupros. "Aonde elas foram atendidas? como foram orientadas? Alguém deu respaldo?, indagou a parlamentar.

Os Centros de Referência de Atendimento às Mulheres prestam acolhida, acompanhamento psicossocial e orientação jurídica às mulheres em situação de violência (violência doméstica e familiar contra a mulher - sexual, patrimonial, moral, física, psicológica; tráfico de mulheres, assédio sexual; assédio moral; etc).

 

Igualdade Racial

 Érika também apresentou requerimento solicitando à Prefeitura que reative o Conselho Municipal de Promoção da Igualdade Racial de Cubatão. Ela comentou que, segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), mais da metade da população brasileira (54%) é de pretos ou pardos (grupos agregados na definição de negros), sendo que na cidade temos 56,6%. Para a vereadora, é preciso tocar em assuntos delicados e incômodos para que se combata fortemente o racismo cotidiano nos diferentes setores da sociedade.

 A parlamentar ainda apresentou requerimento pedindo ao Executivo Municipal que realize a cobertura externa da UME Ana Luiza Victor de Couto. De acordo com Érika, nos dias de chuva, educadores e estudantes sofrem com os alagamentos na unidade de ensino.   

Adicionar Comentário

Você pode adicionar um comentário preenchendo o formulário a seguir. Campo de texto simples. Endereços web e e-mail são transformados em links clicáveis.