Vereadores aprovam a criação da Comissão de Indústria, Comércio, Emprego, Trabalho e Renda

Vereadores aprovam a criação da Comissão de Indústria, Comércio, Emprego, Trabalho e Renda

crédito: Rodrigo Palassi

Na última sessão (6), os vereadores aprovaram por unanimidade o projeto de resolução Nº 04/17, de autoria de Rafael Tucla (PT), que cria a Comissão Permanente de Indústria, Comércio, Emprego, Trabalho e Renda no âmbito do Legislativo. Segundo o parlamentar, a iniciativa atende a um pedido da Comissão dos Desempregados da cidade, que apontaram a necessidade de discutir políticas públicas voltadas para geração de vagas em Cubatão, tanto no setor industrial como no comércio.

Entre as funções da nova comissão, estão promover estudos e reuniões com especialistas na área de indústria, comércio, emprego, trabalho e renda; além de atuar junto às esferas dos governos federal e estadual, a fim de implementar políticas públicas voltadas para esses setores no município.

A Comissão Permanente de Indústria, Comércio, Emprego, Trabalho e Renda também terá o papel de apresentar sugestões de aperfeiçoamento nas legislações que se relacionam com as temáticas do grupo de trabalho. Esse novo instrumento legal da Câmara ainda fiscalizará as ações do Poder Público na área do Polo Industrial e no comércio local.

"Essa Câmara não tem se furtando do debate com a sociedade, o comércio e a indústria acerca das dificuldades do município", destacou Tucla.

 Ivan Hildebrando (PSB) elogiou a iniciativa de Tucla e disse que desemprego é um dos maiores atuais da cidade, sendo que os parlamentares são procurados diariamente pela população por conta disso. O vereador falou que a nova comissão será um mecanismo legal para lutar pelos trabalhadores cubatenses e monitorar o surgimento de alojamentos. Ele lamentou ainda que recentemente a empresa Ypiranga, que executa serviços no bairro Pilões, trouxe profissionais de fora da cidade, ignorando a mão de obra local.

Sérgio Calçados (PPS) disse que a cidade atravessa uma crise sem precedentes, causada, em parte, pela omissão do governo estadual no caso de demissão em massa na Usiminas. "Faltou vontade política", destacou o vereador. Ele também espera que o cartão servidor possa ser retomado o mais rápido possível, uma vez que o benefício fomentava o comércio local, gerando vagas de emprego.

Adicionar Comentário

Você pode adicionar um comentário preenchendo o formulário a seguir. Campo de texto simples. Endereços web e e-mail são transformados em links clicáveis.